Vale a pena fazer um cartão de crédito para crianças e adolescentes?

Advertisement

Se você é pai ou mãe e tem dúvidas quanto à concessão do cartão de crédito para seu filho, seja ele criança ou adolescente, saiba que a educação financeira começa em casa.

E os pais tem papel fundamental na forma como as crianças ou adolescentes lidam com o dinheiro.

Existe cartão de crédito para crianças?

De acordo com a Legislação Brasileira, apenas maiores de 18 anos ou menores de idade emancipados podem ser titulares de um cartão de crédito.

Contudo, é possível, ao menor, ter o seu cartão de crédito, desde que o produto seja solicitado por uma pessoa maior, no caso pais e/ou responsáveis. 

Para fazer a solicitação do cartão para jovens e crianças é preciso ter atenção a alguns requisitos.

São eles:

  • Possuir um cartão de crédito já com limite pré-aprovado liberado.
  • Para fazer a solicitação é preciso que o jovem tenha CPF, nome completo da mãe e data de nascimento do dependente.
  • Cartões adicionais sempre usam o limite pré-aprovado do titular da conta.

Quais são os tipos de cartão de crédito para crianças e adolescentes

Alguns bancos disponibilizam pelo menos 4 tipos de cartões. 

  • Cartão mesada: que pode ser pré-pago ou de débito.
  • Cartão adicional: é o mais comum e está vinculado ao cartão principal, geralmente, o dos pais.
  • Cartão pré-pago: muito conveniente, uma vez que permite aos pais ter controle do gasto e fazer a recarga com o um valor permitido.
  • Cartão de débito: com esse cartão os pais podem abrir uma conta digital no nome da criança, todavia a gerência e dos pais.

Quais são os tipos mais interessantes de cartões para o público jovem e infantil?

Cartões Turma da Mônica: a Visa oferece o cartão pré-pago, em parceria com a Mauricio de Sousa Produções e a Brasil Pré-Pagos no qual tem estampado os personagens da Turma da Mônica. São os ‘cartões-mesada’, em cinco versões e recarregáveis. As crianças podem usar o cartão até em viagens internacionais com os pais. Além disso, esses cartões não precisam ser vinculados a uma conta ou agência bancária.

Cartões Angry Birds: a Acesso, especializada na emissão e gerenciamento de cartões pré-pagos, oferece o cartão recarregável licenciado com a marca Angry Birds, da bandeira MasterCard. O cartão também pode ser usado para compras em estabelecimentos comerciais e pela internet.

A Acesso Angry Birds não solicita comprovação de renda ou conta bancária vinculada e o cartão é direcionado ao público jovem. A empresa também informa que deseja é inserir os jovens ao sistema financeiro e garantir assim maior autonomia para gerenciar o próprio dinheiro. 

Cartão Mozper: uma plataforma de educação financeira que oferece cartão para crianças e adolescentes, entre as idades de 6 a 18 anos, em parceria com o Visa.

Cartões de crédito para jovens entre 16 e 18 anos 

Para os jovens entre 16 e 18 anos alguns bancos já flexibilizaram os próprios regulamentos para atender essa demanda que cresce a cada dia.

Vale dizer que o processo não muito simples, mas é possível, se o responsável estiver de acordo com os requisitos.

Veja o que diz a legislação vigente sobre os menores de 18 anos adquirirem um cartão de crédito:

Emancipado: legalmente capaz para a vida civil,

Dependente vinculado a um cartão adicional: quando o responsável é o titular da conta,

Universitário: bancos que concedem aos universitários o cartão na função débito. 

Cartões de crédito para as crianças a partir de qual idade?

É comum, nesse caso, as instituições financeiras oferecerem cartão a partir dos 12 anos, mas, é possível aos pais poder solicitar um cartão até para o filho que tenha 10 anos.

O Banco Original, por exemplo, já criou o cartão de crédito adicional para crianças a partir de 10 anos de idade. E complementa que os responsáveis podem solicitar um cartão com a mesma variante, no caso, Internacional, Gold, Platinum e Black, além de também ter o mesmo limite do titular para os dependentes.

A partir de qual idade já posso fazer um cartão para meu filho?

A partir dos 10 anos, a criança já começa a entender a dinâmica do dinheiro. Assim, torna-se mais fácil aos pais explicarem as diferenças entre crédito e débito.

Lembre-se de que quanto mais cedo os pais ensinarem aos filhos sobre a educação financeira, mais adultos conscientes e saudáveis financeiramente teremos no futuro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *