Financiamento Estudantil: Qual é a melhor opção?

Advertisement

Se você é estudante ou está prestes a entrar para a universidade, esse artigo é para você. Afinal de contas, o financiamento estudantil pode ser o seu maior aliado.

O crédito estudantil, como também é conhecido, funciona como um empréstimo para estudante, no qual uma instituição financeira custeia o curso superior.

O estudante, por sua vez, paga o financiamento em parcelas. Esse pagamento, muitas vezes, pode ocorrer somente após a conclusão do curso, o que gera bastante tranquilidade para qualquer estudante.

Existem vários tipos de financiamento de estudo e as condições oferecidas, bem como pré-requisitos para adesão, variam de acordo com cada instituição financeira. Por essa razão, é necessário prestar muita atenção aos detalhes ao escolher o tipo de empréstimo estudantil ideal para você.

Ficou interessado? Continue por aqui para conhecer as opções que você tem.

Quem pode fazer financiamento estudantil

Embora os pré-requisitos para adesão sejam particulares de cada instituição, o empréstimo estudantil pode ser solicitado basicamente por estudantes matriculados no ensino superior particular, como graduação, pós graduação, extensão, MBA, tecnólogos, dentre outros.

Vale ressaltar que o empréstimo para estudante pode ser parcial ou total. E pode ainda ser concedido a cada semestre ou a cada ano. Essas regras também vão depender de cada instituição financeira. 

Quais os tipos de financiamento estudantil

O crédito estudantil pode ser público ou privado.

O financiamento público é pago pelo governo e geralmente oferece taxas e juros menores. Além disso, dá maior tempo para pagamento da dívida e ainda exige que o solicitante tenha feito o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio).

Já o financiamento estudantil privado é pago por empresas e instituições financeiras particulares. Este financiamento apesar de menos burocrático, possui taxas e juros um pouco maiores, se comparado ao público. O financiamento estudantil privado não tem o ENEM como pré-requisito.

A instituição de ensino particular deve aceitar o crédito estudantil, sendo público ou privado.

Vale ressaltar que ambos foram criados com o intuito de facilitar o ingresso da população no Ensino Superior. Por essa razão, mesmo com essa diferença nos valores de juros e taxas, ainda são as alternativas que podem ajudar muito a vida financeira dos estudantes. 

Financiamento Estudantil público

Conforme já mencionado, o financiamento estudantil público é a opção ideal para aqueles que procuram por taxas e juros mais amigáveis. Dentre as opções disponíveis aos estudantes, a mais famosa é o FIES.

Ainda assim, não é todo estudante que consegue o financiamento via FIES. veja abaixo quais são os requisitos para participar desse programa.

Quem pode fazer o FIES?

O FIES pertencente ao programa do Ministério da Educação e oferece duas opções: uma para estudantes com renda familiar de até 3 salários e outra, para estudantes com renda familiar de até 5 salários mínimos.

Em ambos os casos, o solicitante tem os estudos pagos pelo governo e deverá quitar o financiamento no prazo formalizado no contrato.

Mas atenção, só pode participar do FIES, o estudante que tiver feito qualquer uma das edições do ENEM, desde 2010, e obtido média de 450 pontos, pelo menos, sem zerar a redação. Isso porque é com o resultado do exame que o estudante pode garantir sua vaga na instituição desejada.

Como funciona o FIES?

O FIES tem taxa anual de juros de 6,5%, valor considerado baixo quando o assunto é empréstimo.

Ao conseguir o financiamento pelo FIES, o estudante precisará pagar uma taxa de R$ 150,00 a cada 3 meses, para custear os juros do empréstimo.

Após a conclusão do curso, há um prazo de carência de até 18 meses, para que o estudante comece a pagar as parcelas.

As inscrições para o Fies acontecem duas vezes ao ano, no início de cada semestre. Para se inscrever, acesse o site acessounico.mec.gov.br. O login deverá ser feito com a conta gov.br.

O próximo passo é procurar a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de ensino para comprovar todos os dados informados.

Na universidade, o estudante recebe o DRI (Documento de Regularidade de Inscrição) e leva toda a documentação a uma agência da Caixa Econômica Federal. É na agência que o contrato deverá ser assinado, após conferência de dados e documentos.  

Financiamento Estudantil Privado

Se você não conseguiu o financiamento estudantil pelo FIES, vale a pena tentar o financiamento para universitários dos bancos privados.

Esse tipo de financiamento é bem parecido com o financiamento público, mas cada banco estipula suas próprias condições.

Qual o melhor banco para financiamento estudantil

O mais famoso crédito estudantil é o Programa Pravaler, oferecido pelo Banco Itaú. No entanto, outros bancos também oferecem créditos vantajosos para estudantes, como Bradesco e Santander. Vale lembrar que cada banco possui seus próprios critérios de adesão ao financiamento.

Aqui, mostraremos um pouco de cada um para que você possa escolher a melhor opção.

Pravaler

O Programa Pravaler permite não somente o financiamento de cursos de graduação, mas também de intercâmbios e outros cursos de curta duração.

Neste programa, a contratação deve ser semestral e, dependendo da instituição de ensino, o Pravaler pode ser contratado mesmo que o estudante já use algum outro financiamento parcial.

Quanto às taxas, o Pravaler possui as mais baixas, e em alguns casos, sem juros. A grande vantagem, sem dúvida, não ter acúmulo de parcelas.

Em linhas gerais, isso significa que o estudante pode contratar o financiamento por 6 meses e realizar nova contratação em seguida. As parcelas da segunda contratação só serão cobradas após o fim do pagamento de todas as parcelas da primeira fase do empréstimo. Dessa forma, o estudante pode ficar tranquilo sem se atrapalhar financeiramente pelo acúmulo de dívidas.

Vale ressaltar que o Pravaler não considera o ENEM. Por esse motivo, é preciso que o estudante já esteja matriculado em uma universidade vinculada com o Programa e já ter arcado com algumas mensalidades.

Antes da contratação, o estudante deverá acessar o site e fazer uma simulação do empréstimo. Essa simulação permite ter uma previsibilidade das parcelas que serão pagas adiante.

Caso deseje prosseguir, o estudante deverá preencher a proposta ainda pelo site. Lembre-se de que este programa exige fiador, e por isso, os dados do mesmo devem ser enviados juntamente com os dados do estudante. Após envio, o banco analisa a documentação e informa se já está tudo ok para que o contrato seja assinado.

Crédito Universitário Bradesco

O crédito universitário Bradesco possibilita o financiamento de até 100% de um semestre. O pagamento será feito em 12 parcelas, que serão debitadas na conta corrente Bradesco. As taxas e juros dependem da instituição conveniada com o programa.

Após o final desse semestre, outro empréstimo deverá ser realizado, para a próxima etapa do curso.

Para contratar este crédito estudantil, o estudante precisa abrir uma conta no Bradesco. Em seguida, basta acessar o site oficial do Bradesco para realizar a simulação do empréstimo estudantil.

O estudante deverá se dirigir à instituição de ensino e solicitar a emissão da declaração de aptidão e em seguida, levá-la à uma agência Bradesco, junto de seus documentos pessoais.

Todo o processo de assinatura de contrato é realizado na agência, após conferência de dados e documentos.

Credi Universidade Santander

O Banco Santander também oferece uma linha de crédito pessoal para os universitários.

Para isso, o estudante já deve estar matriculado na universidade e ser correntista do Santander.

O Credi Universidade pode ser o mais burocrático de todos, pois está sujeito à análise de crédito, que é realizada de acordo com os critérios internos estipulados pelo próprio banco.

Para conseguir o crédito estudantil no Santander, basta se dirigir à uma agência levando documentos pessoais e comprovante de matrícula na instituição.

O financiamento poderá ser pago em até 36 meses e todas as parcelas serão debitadas da conta corrente. As taxas giram em torno de 2,89% ao mês. O que define a exatidão da taxa é exatamente o valor concedido e as condições de pagamento. 

Como escolher o banco ideal para o Financiamento Estudantil?

Se você é estudante e deseja contratar um financiamento estudantil, precisa se atentar a alguns detalhes, como:

  • Perfil social,
  • Renda familiar,
  • Se o empréstimo cobre 100% do valor,
  • Se a instituição exige fiador,
  • Quais as taxas de juros.

Todos esses critérios devem ser analisados antes do fechamento do contrato de empréstimo estudantil. Lembre-se de que seu nome e sua renda estarão comprometidos pelos próximos anos, por isso, nada de agir por impulso. 

Pense bem em cada um desses pontos e compare os diversos financiamentos disponíveis, para ver qual a melhor modalidade para sua rotina financeira.

Se você curtiu este artigo, deixe sua avaliação logo abaixo. Sua opinião é muito importante pra nós.