Como fazer PIX parcelado? Veja como funciona

Autor: Estação

Atualização:


Veja como você pode desfrutar dessa opção na transação PIX
Como fazer Pix parcelado

O Pix parcelado é uma ferramenta atrelada ao meio de pagamento lançado em 2020. Ao utilizá-la, você não precisa ter saldo em conta.



Veja como funciona o Pix parcelado

Se você quiser fazer um Pix parcelado, você solicitará à instituição financeira um empréstimo do montante a ser transferido. Depois disso, você deverá determinar em quantas parcelas esse valor será pago – o máximo são 24. O destinatário da transferência terá acesso ao dinheiro de forma integral e imediata.

Para isso, o cliente deve ter uma linha de crédito pré-aprovada pela instituição financeira.

A previsão é de que o Banco Central crie regras para liberar o uso da ferramenta no segundo semestre deste ano. As plataformas Santander e Mercado Pago, por exemplo, já oferecem o serviço.

Segundo o planejador financeiro da Planejar, Carlos Castro, as regras devem aproximar o sistema Pix ao cartão de crédito.

“Algumas instituições se anteciparam e criaram suas próprias regras que se resumem a ofertar uma espécie de crédito pessoal” , afirma Carlos Castro.

Qual é a diferença entre PIX parcelado e Cartão de Crédito?

O  Pìx parcelado conta com uma taxa de juros que varia entre 2,09% e 3,99% ao mês. De acordo com o Banco Central, a taxa de juros ao ano dos financiamentos realizados pelo cartão de crédito estava em 172,25%, em janeiro deste ano.

Entretanto, nesse mesmo comparativo, quem opta pelo uso do cartão de crédito só paga juros se não pagar a fatura em dia, o que não acontece com o Pix: há a incidência de taxas nessa modalidade.

Ainda de acordo com Castro, o cliente pega dinheiro emprestado do banco em qualquer um dos casos.

Qual é o melhor jeito de parcelar: Pix ou cartão de crédito?

O Pix, a forma de pagamento mais utilizada pelos brasileiros, já realizou mais de 1 bilhão de transações só em fevereiro de 2022, de acordo com o Banco Central. A ferramenta que dispensa o uso dos cartões de débito, tem uma nova função alternativa aos cartões de crédito: o Pix parcelado.

Essa modalidade permite que o cliente parcele suas compras junto aos comerciantes e utiliza o mesmo mecanismo de segurança dos pagamentos à vista.

A previsão do Banco Central é de que a função esteja disponível já no segundo semestre de 2022, entretanto, algumas instituições já implantaram a ferramenta.

PIX parcelado é melhor que o cartão de crédito?

O mais vantajoso é sempre pagar à vista. Porém, sabemos que isso nem sempre é possível. Por isso, as duas opções, que apresentam taxas de juros, estão em uma disputa acirrada pela preferência do cliente. Portanto, é importante que você saiba quando usar cada uma.

Para Carlos Castro, um grande lojista, o Pix parcelado reduz os custos com taxas dos cartões de crédito. Então, vale a pena para o consumidor se o vendedor abater essa redução do valor a ser pago.

“Parcelamento sem juros não existe, porque esse custo já está embutido no preço do produto. Dificilmente o lojista tem condição de dar um desconto, se o pagamento não for em dinheiro, porque os meios de pagamento têm custo para ele. Por isso, você consegue negociar desconto no pagamento em dinheiro, à vista. Como o Pix parcelado, a princípio, não tem custo para o lojista e ele recebe à vista, o consumidor consegue negociar desconto”, aponta.

Assim, para que o Pix parcelado seja mais vantajoso do que pagar à vista, esse desconto deve ser maior do que os juros que você vai pagar ao usar a ferramenta. Basicamente, se a taxa de juros para parcelar pelo Pix for de 3%, por exemplo, o desconto precisa ser maior do que esse valor. Vale lembrar também que o desconto será oferecido apenas uma vez, mas que os juros serão mensais. Apesar disso, os cartões de crédito não proporcionam aos clientes essa flexibilidade.

Além disso, você também pode usar essa modalidade em casos de emergência, onde não há linhas de crédito disponíveis.

Os juros do Pix parcelado são menores que os do cartão de crédito. 

Vale a pena utilizar o cartão de crédito em parcelamentos sem juros, mas as taxas podem exceder as do Pix caso contrário, porque os cartões possuem intermediários, como as bandeiras.

Levando em consideração as taxas de juros do Pix, que não ultrapassam os 3% ao mês, essa opção vale mais a pena do que o cartão de crédito, que conta com taxas que variam de 10% a 15% mensais.

Vale a pena realizar o Pix parcelado?

Para Luciana Ikedo, assessora de investimentos e sócia da RV4 Investimentos, o uso do Pix parcelado deve restringir-se a situações de pequenos desencaixes financeiros de curto prazo e em caso de urgências, se não houver saldo em conta.

Porém, na visão de Carlos Castro, a ferramenta pode ser útil na negociação de pagamentos de serviços e produtos à vista. Nesse caso, o método pode ser bem vantajoso, já que não há necessidade de parcelar, mesmo sem ter o valor total em sua conta.

Por ser uma linha de crédito, essa nova e atrativa opção precisa ser analisada de perto pelo usuário, a fim de evitar novas dívidas.

Como proteger as transferências feitas por PIX?

Sabemos que o Pix é uma ferramenta que facilitou e muito a vida do brasileiro: é prático, seguro e acessível. Entretanto, como todas as outras tecnologias financeiras, requer alguns cuidados. Por isso, decidimos separar algumas dicas para que suas transações sejam ainda mais seguras:

  1. Utilize exclusivamente o aplicativo oficial do seu banco;
  2. Nunca acesse sua conta bancária em dispositivos de outras pessoas;
  3. Acesse suas informações da conta apenas quando conectado a uma rede segura;
  4. Sempre utilize a verificação de dois fatores;
  5. Opte pelo uso de VPNs.

Como se proteger de roubos no PIX?

Para se proteger desse tipo de crime, basta reforçar a segurança dos seus dados bancários e do seu próprio smartphone. As dicas mencionadas acima são bastante eficazes e, além delas, existem algumas outras atitudes que você pode adotar. 

Listamos algumas dicas para tornar seu telefone mais seguro:

  1. Senha de bloqueio: escolha uma senha forte e de difícil adivinhação; 
  2. Não utilize a biometria em todos os apps: o sistema de biometria, muitas vezes, pode ser burlado por criminosos em posse do seu dispositivo;
  3. Cadastre um e-mail de recuperação secundário: opte por uma conta que não esteja logada no telefone;
  4. Crie um cofre para os aplicativos de banco: você pode fazer isso utilizando apps que bloqueiam certos aplicativos e demandam senhas para o desbloqueio.
  5. Ative a senha no chip do celular: coloque uma senha no seu chip de operadora para evitar que criminosos recebam SMS e ligações destinadas a você;
  6. Anote o seu IMEI: o IMEI é um código que te permitirá bloquear o celular ao ligar para a operadora. Para descobrir esse número, é só discar *#06#.

Fiz um Pix errado, e agora?

Caso os dados estejam errados no momento de confirmar a transferência, o valor do Pix pode chegar em uma conta indesejada e, infelizmente, não tem jeito de recuperar o dinheiro. Por isso, lembre-se de sempre checar os dados antes de efetivar a operação, uma vez que ela só ocorre após a etapa de confirmação.

Existe a possibilidade de contatar o destinatário do Pix errado e reaver o montante pela utilização da função de devolução.  Se a pessoa que recebeu o dinheiro não estiver disposta a negociar, você pode registrar a ocorrência e procurar por um advogado.

Pix já ultrapassou os pagamentos com boletos

De acordo com o Banco Central, o Pix se tornou a forma de pagamento mais usada pelos brasileiros no quarto semestre de 2021, superando até mesmo cartões de débito e crédito. Com um aumento de 34% nesse período em relação ao semestre anterior, a ferramenta foi responsável por movimentar R$3,89 bilhões em todo o Brasil.

Mesmo que o costume de pagar com o boleto seja bem popular entre os brasileiros, esse cenário vem se alterando justamente pelos dados citados acima. Além da praticidade que é pagar com o Pix, esse sistema ainda favorece o e-commerce e o cliente, pela modalidade do Pix parcelado.

Pix versus Boleto

Agora que você já sabe que o Pix vem conquistando o lugar dos boletos, elaboramos uma comparação entre eles para que você entenda os porquês:

PixBoleto
Tempo de compensaçãoaté 10 segundosaté 3 dias úteis
Dados do destinatáriochave cadastrada, QR Codecódigo de barras, diferente para cada boleto
Segurançanumerosas camadas de segurança, um dos sistemas mais avançados na proteção de dadosdepende do pagador conferir o código de barras
Limite de pagamentopadronizado pelo Banco Centralvaria de acordo com o banco e a conta

Pix e o e-commerce

Dados levantados por uma pesquisa realizada pelo Estudo de Pagamentos Gmattos, apontam que as lojas virtuais que não investirem na implantação do Pix, tendem a ficar para trás.

Isso porque essa forma de pagamento, lançada em 2020, já ocupa o terceiro lugar nesses tipos de operações, registrando a maior proximidade com os números do boleto bancário. O primeiro lugar é ocupado pelos cartões, porém isso pode se alterar com a difusão do Pix parcelado.

Mais Opções

BB libera crédito de R$6 milhões

Próximo Cartão

Juros do cartão a 875% ao ano? Entenda o porquê

Sobre o Estação

O Estação oferece respostas às suas dúvidas sobre cartões de crédito e contas digitais. O portal quer que você tenha certeza de que está tomando uma boa decisão. Siga o Estação no Google News.

Atenção: Para analisar pedidos de cartões de crédito, as instituições financeiras levam em consideração o perfil financeiro do consumidor. Por isso, é possível que um pedido seja negado em uma instituição financeira e aprovado em outra, já que cada uma usa critérios próprios para avaliação.

Mais opções para você