Dólar acima de R$ 5,50. Mas o que você tem a ver com isso?

22/03/2021 às 11:37
A maioria dos produtos que você consome, como arroz, carne, celular, entre outros, são direta ou indiretamente impactados pelo dólar. Se ele sobe, você terá que pagar mais por esses produtos.
Publicidade




Instabilidade econômica e política, pandemia e crise em todo o mundo é um ambiente propício para dólar disparar e chegar em níveis acima dos R$ 5,50, como estamos vendo nos últimos dias.

Publicidade


Além do cenário externo, o cenário fiscal debilitado e as rixas políticas internas vêm causando oscilações na taxa cambial e puxando o dólar para cima. Mas o que você tem a ver com isso?

Em resumo, a maioria dos produtos que você consome, como arroz, carne, celular, entre outros, são direta ou indiretamente impactados pelo dólar. Se ele sobe, você terá que pagar mais por esses produtos.

Como o dólar alto afeta seu bolso?

O reflexo do dólar alto pode ser sentido no bolso: diversos produtos do supermercado estão apresentando altas constantes. Por exemplo, o saco de arroz, tão essencial para a alimentação brasileira, chegou a custar R$ 40,00 o pacote de 5kg.

Publicidade




Entretanto, o dólar não afeta diretamente o preço nas gôndolas do supermercado. Acontece que o efeito da desvalorização do real é um efeito em cascata.

Assim, todas as matérias-primas utilizadas durante o processo produtivo até o produto chegar na sua mesa, em sua maioria, utilizam algum produto ou serviço importado.

Ao passo que o dólar alto faz com que exportar seja mais interessante do que vender para o consumidor brasileiro. Assim, empresas preferem exportar, por exemplo, o arroz para o mercado internacional, pois elas ganham mais do que vender dentro do Brasil.

Logo, o preço interno aumentou devido à escassez de produtos. Então, quem recebe em dólar (empresas exportadoras) tende a se beneficiar desses momentos. Isto é, o setor do agronegócio é um dos grandes beneficiários do dólar alto.

Investidores também são prejudicados. Por exemplo, a Bolsa de Valores tende a cair quando o dólar sobe. Por isso, investir em fundos multimercados é uma boa estratégia para amenizar os efeitos cambiais.

Como funciona a variação da moeda americana?

O dólar é negociado diariamente e, por isso, seu valor muda várias vezes ao dia. Essa variação chama atenção de todas as pessoas: investidores, políticos, economistas e de qualquer família.

Publicidade




Entretanto, a variação cambial nada mais é que a relação entre duas moedas, de modo que indica quanto de uma moeda você precisa para comprar outra. Por exemplo, quantos reais você precisaria para comprar 1 dólar.

Nessa negociação que ocorre diariamente muitos fatores estão envolvidos.

Olhando para a conjuntura do país como um todo, temos as exportações e importações que entram no país, que terá impacto no câmbio, uma vez que essas transações são executadas em dólar.

Assim, quanto mais pessoas estiverem vendendo dólar para comprar real (seriam as exportações para nós), há tendência de queda da moeda estrangeira. Enquanto isso, quando nós estamos importando, precisamos comprar dólar para pagar essa compra, logo o preço tende a subir.

Isso é a regra de oferta e demanda. Por isso o câmbio varia tanto, pois depende do momento do mercado e das transações que estão acontecendo.

Além desses fatores cotidianos, temos a reserva cambial, que é o montante que um país possui de moeda estrangeira e ouro acumulados. Elas são utilizadas para negociações internacionais e pagamento de fornecedores.

Assim, uma queda nas reservas cambiais representaria a valorização da moeda estrangeira.

Por fim, chegamos aos fatores econômicos dos EUA e do mundo. Como a economia mundial é cada vez mais interligada, questões político-econômicas em um país ou mais impactam na cotação do dólar.

Cartões de crédito para economizar

Como vimos, o dólar alto representa aumento de custos em diversos produtos que consumimos no dia a dia. Por isso, é importante fazermos um planejamento melhor de nossos gastos.

Para tanto, podemos cortar certos gastos desnecessários, o primeiro sendo a anuidade do seu cartão de crédito. Por exemplo, o Credicard Zero é um cartão Platinum sem anuidade e te dá descontos especiais em mais de 30 parceiros.

Cartão Credicard
Cartão de crédito sem anuidade, pra sempre (de verdade).
Você permanecerá no site atual. Você permanecerá no site atual.

Enquanto isso, o cartão do PicPay permite você ter um conta completa com rendimento de 210% do CDI e cartão de crédito sem anuidade. Além disso, você pode usar o cartão no app para parcelar compras no boleto.

Por fim, para te ajudar no orçamento, o cartão de crédito Next é sem tarifas e anuidades, além de contar com um app que te ajuda a criar orçamentos e planejar objetivos.

Mais Opções

O que é microcrédito do Banco do Brasil?

Próximo Cartão

Cartão Vivo Itaucard com Cashback de até 10%

Mais opções para você

Aguarde!
Buscando cartão