Como me organizar se estou sem emprego e renda?

Publicidade

Desempregado e sem renda? Saiba agora o que você pode fazer

Conforme a Agência IBGE de notícias, o desemprego está com uma taxa de aproximadamente 13,7%.


Publicidade

Em outras palavras, isso quer dizer que o Brasil, infelizmente, está com quase mais de 14,1 milhões de pessoas desocupadas.

A título de exemplo, observe os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD Contínua, divulgada pelo IBGE e conheça os números.

Covid 19

Não há como negar que a pandemia da COVID-19 tem forte relação com esses números. Assim, além da preocupação com a saúde, instaurou-se em cada um de nós incertezas e angústias.

Dessa maneira, a realidade é de uma séria crise econômica, e um quadro de muitas pessoas que perderam seus rendimentos ou ficaram desempregadas.

Primeiramente, a crise começou a se agravar e o desemprego a aumentar, logo após o período do “fique em casa”, defendido por muitos políticos. Além disso, nesse período, vários trabalhadores não puderam retornar ao trabalho.

Em seguida, os empresários tiveram de fechar as portas de suas empresas, por não conseguirem sobreviver diante da crise.

Fato é que estamos vivendo um momento instável, inseguro e triste.

Se você está desempregado…

Se, por algum motivo, você está desempregado, certamente está numa situação que pode ter um grande impacto em diversos aspectos da sua vida.

Isso porque o emprego é mais do que uma forma de sobrevivência ou de ganhar dinheiro. Em outras palavras, ter uma ocupação profissional dá sentido à nossa vida e nos faz sentir úteis.

O trabalho é a motivação que nos faz levantar todos os dias. Da mesma forma, influencia quem nós somos e nos faz reconhecidos pelos outros.

Embora as consequências da falta de trabalho sejam graves, este artigo tem a finalidade de propor uma reviravolta. O que fazer, apesar de tudo? Afinal de contas, qual deve ser a sua postura diante de tantas agruras? São os compromissos financeiros que mais lhe assombram?

Saiba agora o que fazer

De acordo com especialistas, é preciso se conscientizar da sua real situação para assim poder lidar com ela. Veja só:

Anote todas as suas despesas. Assim, você visualiza seus gastos e consegue controlar seu dinheiro.

Seja cauteloso, especialmente com a verba rescisória e demais benefícios. Afinal, você deve fazer este dinheiro render ao máximo ou pelo menos até encontrar nova colocação no mercado.

Esqueça seu cartão de crédito. O maior erro que um desempregado pode cometer é adiar despesas.

Faça cortes de despesas. Organize uma planilha com todas as contas mensais, incluindo dívidas e prestações. Retire desta planilha tudo o que pode ser cortado temporariamente. Por exemplo: academia, cursos, faxineira, dentre outros. Mantenha-se firme no itens básico, ou seja, alimentação, contas de luz e água, aluguem, condomínio.

Faça economia de luz, de água para assim diminuir o valor das contas que não podem ser cortadas

Só compre e pague à vista, assim, você não arrasta consigo contas para o próximo mês.

Seja econômico, em casa e na rua.

E a economia não para por aí

Caminhe, ande a pé: Ou deixe o carro na garagem ou prefira caminhadas a pegar transporte público.

Faça avaliação de seus financiamentos. Por exemplo, se tiver imóvel financiado e não há como continuar a pegar as parcelas, tente pedir dinheiro emprestado aos amigos ou parentes. Do contrário, vá ao banco e tente passar a dívida adiante, tentando recuperar o que já foi investido.

Venda alguns de seus bens. Dessa maneira conseguirá equilibrar sua vida financeira até nova colocação no mercado.

Seja criativo, use a imaginação e, neste momento difícil, tenha outra fonte de renda. Seja vendendo, fazendo palestras, dando cursos, ajudando idosos, crianças. Quem sabe alguma atividade que você praticava na informalidade ou por hobby, pode se tornar nova fonte de renda?

Por fim, em hipótese alguma faça nova dívida, ainda que seja mínima.

Existe solução?

Há casos comprovados de muita gente que saiu de uma crise acreditando em si mesma, buscando no seu interior algo novo que pudesse tornar em renda.

Se você é criativo, se gosta de esporte, tem algum hobby, se é artesão, gosta de música tente reverter estas habilidades de forma a lhe trazer certa gratificação monetária.

Além de lhe trazer benefícios, você não terá tempo para queixar-se ou se preocupar em demasia.

Tenha uma reserva financeira, além de ajudar bastante em momentos de crise, deixará você mais tranquilo. Pelo menos por algum tempo.

Nosso conselho é: assim que estiver novamente trabalhando, faça uma reserva. Outra coisa, procure comprar sempre à vista, de forma a não deixar muitas parcelas para os meses seguintes. Valorize você, seu trabalho e empenhe-se em criar a sua poupança. Guarde, poupe e viva tranquilo.

Pare para refletir

Sabemos que a busca não pode parar, mas antes de procurar um emprego, reflita:

⇒ Dê algum tempo a si próprio. Adapte-se à nova realidade, tente aceitar a situação na qual você, temporariamente, está. Nunca pense que estar desempregado é culpa ou falha sua. Nada disso.

⇒ O apoio dos amigos e dos familiares é sempre muito bem-vindo. Por isso, conte com
as pessoas que se preocupam com você.

⇒ Reflita sobre as suas competências, faça uma lista de características e experiências positivas, estude, faça cursos virtuais. Assim você ampliará suas chances no mercado, além de melhorar seu currículo.

⇒ Mantenha sua rede de contatos atualizada, faça networking. Falar com outras pessoas é uma das melhores formas de procurar emprego.

⇒ Um grande estímulo é elaborar uma lista de todas as coisas de que gosta e admira em si próprio. Tenha um bloco de notas no qual possa dizer sobre tudo o que lhe faz feliz. Descreva as situações nas quais se sentiu bem e faça projeções do que deseja daqui para frente.

⇒ Seja seu melhor amigo, faça tudo que lhe mantenha motivado e persistente. Embora não seja fácil continuar a busca depois de ouvir alguns “não”, mantenha a esperança, confie em você, nas suas competências e capacidades.

⇒ Não se esqueça de que qualquer procura de emprego envolve desilusões e frustrações. Por isso aprenda com cada entrevista, com cada nova entrega de currículo.

Toda fase de nossa vida é seguida por um aprendizado. Esta fase não é diferente. Geralmente, as pessoas que já passaram por momentos difíceis, sem dinheiro e desempregadas, relatam que o maior aprendizado foi reconhecer em si próprias o valor da perseverança, do esforço, do empenho.

Mais Opções

Aplicativo PagBank: O app pensado em você

Próximo Cartão

Cartão Vestcasa: Veja como solicitar e seus benefícios

Mais opções para você

Buscando cartão

0