Como colocar as finanças pessoais em ordem para investir?

12/01/2021 às 19:15
Separamos dicas para te auxiliar nessa jornada. Vamos lá?
Publicidade




Quer começar a investir, mas não está conseguindo organizar as finanças pessoais? Então, leia até o fim para conferir todas nossas dicas!

Publicidade


Investir é uma etapa do planejamento financeiro fundamental para todas as pessoas. Contudo, não é comum que as pessoas o façam, pois muitas vezes demanda alguns sacrifícios.

Acredito que você está disposto a reduzir um pouco seus gastos hoje para ter um futuro melhor, não é?

Por onde começar?

Gustavo Cerbasi, um dos maiores educadores de finanças pessoais do Brasil, indica que é fundamental começar por reduzir os gastos fixos mensais. Assim, tendo a maior parte do seu orçamento em gastos pontuais e variáveis.

Publicidade




Ele argumenta que, ao ter um orçamento mais flexível, você estará mais bem preparado para começar a investir.

Visto que, se suas contas são repletas de prestações e compromissos, caso venha acontecer um imprevisto você precisará recorrer ao saque dos investimentos.

Então, busque ao máximo reduzir gastos fixos. Cerbasi também reitera que pode ser melhor viver em uma casa menor, com custos menores, para você ganhar mais qualidade de vida ao ter mais dinheiro para gastar em experiências, viagens e lazer.

Assim, recomenda-se que você lance em uma planilha (ou no papel) todas suas despesas, receitas e dívidas. Dessa forma, buscamos entender qual nossa atual situação das finanças pessoais.

Você pode optar por aplicativos de controle financeiro, caso você prefira esses sistemas em vez das planilhas.

O educador financeiro também enfatiza a importância da Reserva Financeira antes de investir. Isto é, ter um colchão financeiro para cobrir suas despesas caso aconteça algum imprevisto.

Publicidade




Ter essa Reserva Financeira te dará mais liberdade para ser mais arrojado nos investimentos e diminuir a ansiedade.

Para aprender a montar a sua reserva, clique aqui que te auxiliamos!

Como colocar as contas em dia?

Separe seus gastos mensais

Organizar as finanças pessoais começa por entender seu estado atual. Por isso, numa planilha ou caderno, descreva em detalhes todos os seus gastos mensais.

Com todas as despesas listadas, classifique-as em “não essencial” e “essencial”. Não essencial são despesas que você poderia cortar, reduzir ou alterar que não haveria problema, como as baladas, roupas (exceto quando você realmente precisa), cinema, entre outros.

Essenciais são os compromissos que você precisa cumprir e os gastos de sobrevivência. Por exemplo, o aluguel, prestação do carro, mercado do mês, contas de energia, água, internet, etc.

Quite suas contas, invista e, o que sobrar, gaste consigo

Uma fórmula básica para não se perder nas finanças pessoais: pague suas contas fixas primeiro, invista o valor que estipula ser o ideal para seus objetivos. Por fim, o que sobrar na conta, se divirta!

Depois que você já pagou quem tinha que pagar e cuidou do seu futuro ao investir, o resto você pode gastar sem medo de ser feliz.

Por exemplo, se você ganha R$ 2000. Digamos que gastos fixos sejam R$ 1500, então, assim que você receber já pague o que tiver que pagar.

Dos R$ 500 restantes, vamos separar 50% para investimento. Assim, você terá R$ 250 para gastar no que bem entender.

Lembrando que pagar os gastos fixos e fazer os investimentos devem acontecer no mesmo dia que você receber seu salário. Assim, evita-se que caia na tentação e gaste o dinheiro com outras coisas.

Qual o valor que deve ser poupado?

Definir um valor específico depende muito de como está seu orçamento. Afinal, não posso falar “guarde 1000 por mês” se você recebe 1.500 e mora de aluguel.

Por isso, com um salário baixo, o ideal é pegar seu salário, subtrair dele as despesas fixas (aluguel e contas da casa) e as dívidas. O restante você divide entre investimento e despesas não essenciais (bar de fim de semana, Netflix, etc).

A proporção deve ser avaliada conforme o valor resultante. Ou seja, se sobrar apenas R$ 100 fica difícil dividir, e não dá para ter lazer nenhum.

Então, conforme você vai ajustando as contas, mais irá sobrar. Ademais, combine o ato de poupar dinheiro com fontes de renda extra. Assim, aumentará cada vez mais o dinheiro que sobra e você poderá investir mais.

Quanto da minha renda devo investir?

Para o sócio da escola de negócios e finanças Proseek, Celson Placido, deve-se começar a investir 10% de sua renda.

Não é uma regra, porém iniciar com 10% é um bom primeiro passo. Celson recomenda que, conforme sua renda for aumentando, você aumente o porcentual de investimento, chegando em 30% antes de pensar em melhorar o padrão de vida.

Ou seja, quando você ganha mais, não se aumenta a quantidade de gastos. Isto é, teve aumento na renda? Invista mais.

Sempre tenha em mente que é melhor você adquirir ativos que, sozinhos, possam sustentar suas despesas (passivos). Dessa forma, acabará o medo de abrir os boletos e a fatura do cartão.

Onde investir?

Por fim, não dá para falar de investimento nas finanças pessoais se não mencionarmos onde investir, não é?

Em geral, a melhor forma de investir é com uma corretora digital. Isso porque o atendimento é personalizado e os custos são muito inferiores aos bancos tradicionais, além de oferecerem mais benefícios.

BTG Pactual Digital

BTG Pactual Digital é um dos principais bancos digitais de investimentos. Com um app simples e intuitivo, você tem acesso a centenas de produtos financeiros.

Além disso, conta com assessores de prontidão para te auxiliar no processo. Aliás, o banco acaba de lançar o BTG+.

O BTG+ é a conta corrente do banco e oferece um cartão de crédito com cashback que se transforma em investimento!

Ou seja, você usa o cartão de crédito nas compras e parte do valor da fatura é descontado e aplicado em um fundo de renda fixa. Dessa forma você economiza nas compras e ainda investe.

Quer conhecer mais esse cartão? Clique aqui e entenda tudo!

Ágora Investimentos

A corretora Ágora Investimentos faz parte do grupo Bradesco, porém tem todas as características das corretoras digitais.

Ela também possui custos bem baixos e oferece carteiras recomendadas com base nos seus objetivos. Assim, você investe com ajuda dos melhores analistas.

A corretora também possui o Ágora Insight, uma plataforma de conteúdos exclusivos produzidos por especialistas. Dessa forma, você aprende de graça com os melhores profissionais de investimentos.

Inter investimentos

A plataforma do Inter Investimento é completa e você já tem sua corretora e banco num só ambiente.

Algo interesse que o Inter trouxe foi o cashback em investimentos. Ou seja, você recebe de volta parte das taxas de administração e performance nos fundos de investimento.

Empréstimo do C6 Bank
Mais Opções

É seguro investir no Banco Inter?

Próximo Cartão

Hiper Conta: conta digital e cartão 100% gratuitos

Mais opções para você

Aguarde!
Buscando cartão