Código editorial: carta aberta ao leitor


Caro leitor, o trabalho de redação aqui nos bastidores do Estação Notícias é muito importante, pois lidamos com uma matéria-prima de excelência: a palavra escrita.



Mas qual será o caminho que percorremos para fazer a notícia chegar prontinha até você? 

É claro que o texto não se inicia com a escrita, ainda que ela seja uma importante forma de representação da linguagem oral.

O ato de escrever representa ideias, conceitos ou sentimentos feito por meio de símbolos. 

No início do século XX, houve uma importante publicação intitulada, Curso de Linguística Geral, preparada pelos alunos de Ferdinand Saussure, pai da linguística moderna, que mudou a maneira de estudar língua e escrita e fez com que a linguística passasse a ser considerada uma ciência autônoma. 

Para Saussure, a língua é um produto social, presente na cultura humana. É um sistema de signos que exprime ideias, e a escrita se estabelece diante de signos e de representações linguísticas.

Saussure estabelece assim que o signo linguístico é uma relação entre um significante, que é imagem acústica de uma palavra, sua representação sonora –  esta palavra deve fazer parte do nosso mesmo vocabulário –  e um significado, que é o conceito que nós temos da palavra e o que ela representa para nós. Isso porque cada um de nós pode ter para si uma representação mental do que seja uma casa, por exemplo.

A combinação entre significante e significado forma um signo, que se une a outros signos, compondo um sistema, e a linguagem faz parte desse sistema.

A linguagem é ampla, é um sistema que usamos para nos comunicar, para passar adiante nossas ideias, nossos pensamentos e sentimentos pela fala, pela escrita ou por meio de outros signos que já estão estabelecidos na nossa sociedade, por exemplo: diálogos entre pessoas, e-mails, mensagens, sinais de trânsito e tantos outros.

Desse modo, a linguagem junto com a comunicação formará um processo que permite a interação entre todos os indivíduos. Aliás, podemos dizer que o processo de comunicação é o fenômeno mais importante do ser humano. 

A comunicação compreende campos de conhecimento, como exemplo a informação, a publicidade, o marketing, a propaganda, o jornalismo e a comunicação entre pessoas.

A linguagem é o mecanismo cognitivo pertencente à espécie humana. Com ela nós adquirimos, processamos, produzimos, expressamos e transmitimos conhecimento. 

E para que haja a comunicação, é necessário que o emissor, o receptor compartilhe uma mensagem.

E nós, redatores do Estação Noticia, estamos aqui com essa finalidade; a de passar a você, caro leitor, a informação.

Mas, para isso, é inegável a importância de uma estrutura na qual possamos nos apoiar e, assim, passar uma informação, uma notícia segura, neutra, confiável, especialmente, pela notícia ser a unidade básica de informação do jornalismo.

Todos os dias nos reunimos e decidimos nossa pauta.

O passo seguinte é a apuração de um fato, logo depois, a escrita deste fato, que o torna notícia, até chegarmos à publicação.

Parece simples, não é? 

Esse percurso é formado por profissionais que se empenham, se dedicam para lhe oferecer, caro leitor, uma informação de qualidade.

Em outras palavras, sem os nossos redatores não há fato, não há notícia.

E assim acontece todos os dias: somente depois da busca por um fato atual e relevante, da pesquisa e do cruzamento das informações, que caracteriza a veracidade do acontecimento, é que está hora de escrever o texto, melhor dizendo, redigir a notícia.

A redação consiste na apresentação da relevância dos fatos. Dito de outra forma, para melhor dar uma notícia, priorizamos a hierarquização dos fatos, na qual sempre irá prevalecer a ordem decrescente de importância, uma vez que você, nosso leitor, não tem muito tempo a perder.

De modo que sempre vamos direto ao ponto, sem a presença da nossa opinião, apenas informamos o fato.

Esse jornalismo permite que você, leitor, elabore sua própria interpretação sobre os fatos que lhe apresentamos. 

E ao fazer a leitura do primeiro parágrafo, já esteja bem informado sobre o assunto. 

Para nós, redatores, todos os dias é dia de escrever. 

A palavra escrita é o material que está diretamente ligada ao nosso produto.

A palavra é para nós material bruto. Precisamos lapidá-la, até transformá-la em informação, em notícia.

E quando o assunto é redigir notícia para lhe informar, pode ter certeza de que fazemos o nosso melhor para dar a você, nosso caro leitor, informações preciosas.