Ansiedade versus vida financeira

17/05/2021 às 10:50
Ignorar suas dívidas e se manter no escuro sobre a extensão dos seus problemas só vai aumentar a sensação de ansiedade. Eduque-se através de fóruns online, aplicativos bancários e planilhas mensais, e tente não comparar sua situação financeira com a de outras pessoas.

Publicidade

Ansiedade é um sentimento vago e desagradável de medo, apreensão – uma emoção que atinge qualquer pessoa, independente da fase da vida e é caracterizada por tensão ou desconforto, proveniente de uma antecipação de perigo, de algo desconhecido ou estranho.


Publicidade

Geralmente, ela decorre em razão de algum acontecimento, conflito  e/ou mudança de vida. Quem sofre ansiedade sente medo e insegurança, ainda que não haja razão para isso.

Todavia,  esse medo persistente faz com que o indivíduo se mantenha em estado permanente de alerta.


Publicidade

A ansiedade financeira não se difere. Trata-se de uma sensação de preocupação e desconforto relacionado à vida financeira do indivíduo. 

Existem várias definições de ansiedade, mas, no nosso post, vamos tratar da ansiedade financeira. 

O que pode causar a ansiedade financeira?

A origem da ansiedade financeira não é tão precisa, todavia, especialistas apontam para pelo menos duas fontes bastante comuns que é o medo de perder o emprego,

a renda, o medo da falência, e o medo de ocorrer algum imprevisto, uma situação, como um acidente ou doença, fugir ao seu controle, acarretando gastos que estão fora de seu alcance.

Com base numa pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito – SPC, cerca de 70% dos inadimplentes sofrem de ansiedade e outros distúrbios, por não conseguirem resolver suas dívidas. 

Independente da origem da ansiedade, em especial, a ansiedade financeira, o primeiro passo é o cuidado com a saúde mental.

Se você ficou preocupado com o assunto, fique tranquilo, porque este post vai te ajudar a lidar de forma consciente e objetiva com seu dinheiro. Vamos lá?

1. Desemprego: nunca houve em nosso país crise com a que estamos passando; o desemprego e o trabalho informal cresceram e muito e, da mesma forma, a insegurança em relação ao trabalho e o medo da demissão. Estes são fatores que geram a ansiedade financeira. 

Mas, por favor, não permita que o medo, o pânico façam parte da sua rotina. Neste momento, o ideal é economizar.

É certo que momentos de crise podem sim ser a base de oportunidades e mudanças de vida. Este pode ser o momento certo  para usar sua criatividade, conhecer suas habilidades. 

Embora não resolva a situação como você gostaria, a mudança pode sim ser a oportunidade para novos trabalhos e promover

. mudanças em seu estilo de vida,

. saída da zona de conforto,

. novas soluções de renda, 

. ampliação de seus horizontes.

. empreendedorismo.

O importante é não permitir que os problemas se tornem maiores do que realmente são. Grande deve ser a sua capacidade para enfrentá-los.

2. Dívidas: se você tem dívidas, o primeiro passo é reconhecer que as tem e imediatamente enfrentá-las e negociá-las. Só a postura de assumir a dívida já vai te fazer um bem enorme.

À medida que você se organiza e inicia o pagamentos das dívidas, ainda que em pequenas parcelas, já te dá o controle da situação. Em decorrência, você passará a ter uma disciplina financeira e, naturalmente, diminuir sua ansiedade.

3. Investimentos: a ansiedade financeira pode surgir após a realização de um grande investimento. Entretanto, o sentimento que deve prevalecer nessa situação é o de que o risco pode sim valer a pena. É possível, a qualquer ser humano, sentir-se inseguro e ansioso, mas se o investimento foi feito com base em um projeto, se foi bem analisado, em longo prazo você vai perceber que irá ser compensado.

Como lidar com ansiedade financeira?

1. Poupe sempre: o ideal é todo mês reservar parte de sua renda. Se você não sabe ou não tem o costume de poupar, crie projetos, assim você verá que será muito mais fácil.

2. Investimentos: investir parte do que você ganha é também uma boa forma impedir que tenha ansiedade financeira.  

3. Vida social: não tem nada pior para quem sofre de ansiedade o isolamento.  A socialização é uma maneira de  impedir a ansiedade.

4. Busque ajuda: um psicólogo pode ser uma boa solução. O enfrentamento de um problema pode ser feito de maneira mais tranquila quando se fala sobre ele. Por isso a ajuda de um profissional poderá ajudar muito.

5. Aceitação sem culpa: aceitar a situação é o primeiro passo para resolver o problema. As dificuldades chegam para todos de uma forma ou de outra. Reconheça a sua situação e trabalhe para melhorá-la. Você é um ser humano que erra e acerta. Assim é a vida. O importante é levantar a cabeça, se abrir para novas perspectivas e fazer o possível para não erra novamente.

Quando falamos sobre  problemas emocionais, estamos falando de vida, e a vida está em  constante movimento. 

Hoje você pode estar preocupado, ansioso, com dívidas, mas uma coisa é certa, as adversidades surgem sempre para nos fazer aprender, para nos dar uma sacudida.

E será neste momento que a mudança pode acontecer. Daí você vai ver que existe uma série de oportunidades e, não fosse a sua crise, talvez nem teria percebido e não teria mudado para melhor.

Hoje você está ansioso, aflito, as contas não batem, o caixa não fecha. Saiba que não será assim a vida toda.

Lembre-se de que para cada problema há uma solução. Não estamos aqui para dizer que o seu problema é fácil e tranquilo. Não. Estamos aqui para te mostrar que o que pode ser solucionável, não necessariamente é fácil. Mas que você tem toda a condição do mundo para solucionar, para resolver.

Se você já esteve nesta situação, deixe aqui seu depoimento, seus comentários. Certamente ele ajudará e muito nossos leitores.

Cartão Pan
Mais Opções

Cartão de crédito Kabum: com parcelamento em 24 vezes

Próximo Cartão

Conta digital Ebanx Go: Conta Digital Completa Grátis

Mais opções para você

Buscando cartão

0